Rodeado de Monstrinhos

Andava na faculdade quando fui à minha primeira festa de Halloween. Na altura, a maioria dos meus amigos perguntou-me se essas festas não se realizavam apenas nos Estados Unidos. Outros acharam simplesmente que se tratava de uma excentricidade e que no ano seguinte já havia de me ter passado a maluqueira. A verdade é que o Halloween pegou de estaca. E agora são os meus filhos que contam os dias para se poderem mascarar, assustar os coleguinhas da escola com os seus disfarces tenebrosos e pedir doces à porta dos vizinhos.

“Papá, eu sou o Palhaço Mau”, dizia o Afonso todo contente, enquanto tentava fazer sons assustadores com a sua vozinha doce, por detrás daquela máscara. A Lia explicava de forma sucinta que era uma “Gaja Morta” ou uma “Miúda Zombie”. Enquanto isso dividiam irmamente os lucros da colecta do “doce ou travessura”…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: